Escola cervejeira norte americana

Por: Renato Bonário

13/09/2018 às 22:03hs

A escola cervejeira norte americana é a mais recente de todas e faz parte da história dos Estados Unidos. A escola sofreu junto com a nação diante de acontecimentos que mudaram o rumo do mundo inteiro, até que eles se firmaram como uma das escolas mais importantes do mundo cervejeiro contribuindo com técnicas, tecnologias, insumos e é claro receitas únicas.

Nesse post, você vai saber mais sobre a história da escola cervejeira norte americana, a Brewers Association e conhecer algumas das cervejas características dessa nação.

Mapa da Escola Cervejeira dos Estados Unidos da América

Índice

 

História da cerveja norte americana

Segundo descrito no livro, larousse da cerveja de Ronaldo Morado, a história da cerveja nos Estados Unidos acompanhou a “odisseia” da sociedade norte americana com seus altos e baixos passando do liberalismo até o conservadorismo extremo.

 

No início do século XX, os estilos de cerveja mais populares no país eram os britânicos Pale Ale e Stout, e o Pilsner germânico começava a dominar o mercado. Não é uma surpresa, quando levamos em consideração que as escolas Britânica e Germânica são mais antigas e mais consolidadas.

 

Mas, o surgimento intenso dos movimentos moralistas e religiosos culminou com a proibição, ou Lei Seca. O que foi uma grande perda para a sociedade, devo acrescentar.

Protesto contra a lei seca nos estados unidos da américa

Infelizmente, o período da Lei Seca ocorreu logo após a primeira guerra mundial entre os anos de 1920 até 1933 e se viu em meio a uma série de acontecimentos, no mínimo catastróficos que resultaram na escassez de matéria prima e consequentemente em um baque no mercado cervejeiro.

 

Passado esse período turbulento que refletiu na economia e cultura do mundo todo. Pode-se constatar movimentos de renascimento da cultura cervejeira nos Estados Unidos, liderados pelas mais de 5 mil cervejarias artesanais e pelas produções caseiras.

 

Nos dias de hoje, os EUA são o maior produtor de lúpulo do mundo e o segundo maior produtor de cerveja. É interessante notar que existe um comportamento comum entre os países que compõe às outras escolas cervejeiras, onde todos eles possuem alto consumo da produção interna, nesse caso 86% de toda cerveja consumida nos Estados Unidos é produzida no país, ou seja, somente 14% é importada.

 

Pode-se dizer que o movimento cervejeiro vem ganhando força no país e se consolidando cada vez mais. Parte desse progresso pode ser atribuído a Brewers Association e ao trabalho que essa organização vem fazendo a mais de 75 anos.

 

Brewers Association

Em 1942 um pequeno grupo de cervejeiros se reuniu pela primeira vez com o objetivo de discutir sobre fornecimento de matéria prima e outros problemas comuns de pequenas cervejarias. Mal sabiam eles que mais tarde, esse encontro se tornaria algo tão memorável.

 

Hill Climb Brewers Association

A associação cervejeira norte americana, Brewers Association, é uma organização sem fins lucrativos composta por cervejeiros, para cervejeiros. Eles são compostos por mais de 4685 membros das cervejarias dos Estados Unidos e 46000 membros da Associação Americana de Cervejeiros Caseiros entre outros.

 

Além de fornecer todo o apoio ao movimento cervejeiro, essa associação ainda fornece informações interessantes sobre o mercado e a economia, produção de cerveja e muito mais. É um portal de informação sobre cerveja artesanal de ponta a ponta.

 

Nos Estados Unidos a cerveja é coisa muito séria e vale um adendo que a associação é inspiradora, seu propósito é:

“Para promover e proteger os cervejeiros artesanais americanos, suas cervejas e a comunidade de entusiastas da cerveja.”

Se você quiser saber mais sobre a Brewers Association, clique no link abaixo:

https://www.brewersassociation.org/

 

Lúpulos Americanos

Não dá para falar dessa escola sem citar um dos ingredientes mais marcantes, o lúpulo. Essa planta trepadeira que pode alcançar até 7 metros. Uma curiosidade é que somente os cones das plantas femininas são usados para fazer cerveja, isso porque elas contém 150 vezes mais resinas desejáveis.

 

Curiosidades a parte, essa escola é caracterizada por extremos! Os “Joselitos” norte americanos realmente não sabem brincar, principalmente quando se fala de lúpulo porque exploram os aromas, sabores e o amargor com intensidade!

 

Continue lendo e isso vai ficar um pouco mais claro, no próximo tópico, preste a atenção nos índices de amargor (IBU), por exemplo.

 

Cervejas

Agora sem mais delongas, vamos ao que realmente interessa, a cerveja! Neste tópico vamos falar sobre quatro estilos de cerveja da escola norte americana, seguindo as informações do BJCP:

 

1 – (1B) American Lager

Impressão Geral: Uma lager muito clara, altamente carbonatada, de corpo leve e bem atenuada, vale ressaltar que esse é o estilo mais vendido no mundo, com um perfil de sabor muito neutro e de baixo amargor. Servida bem fria, eles podem ser muito refrescantes e saciadoras de sede.

 

Aroma: Baixo a nenhum aroma de malte, que, se presente, pode ser percebido como granulado, doce ou milho. Aroma de lúpulo muito leve a nenhum, com uma presença condimentada ou floral.

 

Aparência: Cor amarelo pálido a amarelo médio. Espuma branca que raramente persiste. Muito límpida.

 

Sabor: Relativamente neutro no palato com um final seco e fresco, com baixo a moderado-baixo sabor granulado ou de milho, o que pode ser percebido como doçura, devido ao baixo amargor. O alto nível de carbonatação pode acentuar a frescura de um final seco.

 

Sensação de Boca: Corpo de baixo a médio-baixo. Altamente carbonatada.

 

Características:

  • IBU: 8 – 18
  • SRM: 2 – 4
  • ABV: 4,2 – 5,3%

 

2 – (21A) American IPA

Impressão Geral: Uma American Pale Ale decididamente mais lupulada e amarga, moderadamente forte, apresentando variedades de lúpulos americanos modernos. O balanço é orientado para os lúpulos, com um perfil de fermentação limpo, final seco e limpo.

 

Aroma: Um proeminente a intenso aroma de lúpulo com uma ou mais características de lúpulo americano, como cítrica, floral, de pinho, resinosa, condimentadas, de frutas tropicais, de frutas de caroço, de berries, de melão, etc. Muitas versões utilizam dry hopping e podem ter um aroma de lúpulo fresco adicional.

 

Aparência: A cor varia de dourado médio a leve âmbar-avermelhado. Espuma de média formação, pode ser encontrada entre as cores branca e bege clarinho, com boa persistência.

 

Sabor: O sabor de lúpulo é de médio a muito alto, e deve refletir um caráter de lúpulos americanos definidos acima.

 

Sensação de Boca: Corpo médio-leve a médio, com uma textura macia. Carbonatação média a média-alta. Sem adstringência áspera derivada do lúpulo.

 

Características:

  • IBU: 40 – 70
  • SRM: 6 – 14
  • ABV: 5.5 – 7.5%

 

3 – (22A) Double IPA

Impressão Geral: Uma Pale Ale bastante forte, intensamente lupulada, dulçor residual e corpo de uma American Barleywine. Fortemente lupulada, mas limpa, seca e sem aspereza. A drinkability, ou facilidade de beber, é uma característica importante; isto é, não deve ser uma cerveja pesada, que se bebe sorvendo em pequenos goles.

 

Aroma: Um proeminente a intenso aroma de lúpulo, que normalmente apresenta características de lúpulos americanos tais como: cítricos, florais, de pinho, resinosos, condimentados, de frutas tropicais, de frutas de caroço, de berries, de melão, etc. Na maioria das versões é realizado dry-hopping e pode ter um aroma adicional resinoso ou de grama verde cortada, embora isso não seja absolutamente necessário.

 

Aparência: A cor varia entre o dourado e um cobre alaranjado claro. Boa limpidez, embora as versões não filtradas e que realizaram dry-hopping podem ser um pouco turvas. A cor da espuma pode variar entre branca a bege claro, de volume moderado, persistente.

 

Sabor: O sabor de lúpulo é forte e complexo, podendo refletir características das variedades modernas de lúpulos americanos citados a cima. Outra característica é o alto ou absurdamente alto amargor de lúpulo. Um sabor suave e limpo de álcool não é uma falha.

 

Sensação de Boca: Corpo médio-leve a médio, com uma textura suave, macia. Carbonatação média a média-alta. Sem adstringência áspera derivada do lúpulo. Um aquecimento alcoólico contido e suave é aceitável.

 

Características:

  • IBU: 60 – 120
  • SRM: 6 – 14
  • ABV: 7.5 – 10.0%

 

4 – (22C) American Barleywine

Impressão Geral: Uma interpretação americana bem lupulada das mais ricas e mais forte das English Ale. A característica de lúpulo deve ser evidente a todo momento, mas não tem de ser desequilibrado. A força de álcool e o amargor do lúpulo frequentemente combinam-se para deixar um final bem longo.

 

Aroma: Moderado a assertivo caráter de lúpulo, que muitas vezes demonstra uma ampla variedades de notas cítricas, frutadas, ou resinosas de lúpulos norte americanos, embora outras variedades inglesas, como floral, terroso, condimentadas ou uma mistura de variedades, podem ser utilizadas. Maltado rico, com um caráter que pode ser doce, de caramelo, de pão ou razoavelmente neutro.

 

Aparência: A cor pode variar de âmbar claro a cobre médio; raramente pode ser tão escura como marrom café claro. Geralmente destaca reflexos em rubi. Espuma de formação moderadamente baixa a grande bege claro a leve bronzeado, que pode ter baixa retenção de espuma. O alto teor de álcool e a viscosidade pode ser visível em lágrimas (“pernas”) quando a cerveja é agitada em redemoinho no copo.

 

Sabor: Forte e rico sabor de malte, com notável sabor de lúpulo e amargor no balanço. Moderadamente baixa a moderadamente alto dulçor maltado no palato. O lúpulo de amargor pode variar desde moderadamente forte a agressivo. Presença de álcool perceptível, mas bem integrada.

 

Sensação de Boca: Muito encorpada e “mastigável”, com uma textura aveludada, embora o corpo pode diminuir com um longo acondicionamento, faça o teste! O calor alcoólico deve ser perceptível, mas ser suave. A carbonatação pode ser baixa a moderada, dependendo do envelhecimento e do acondicionamento da cerveja.

Características:

  • IBU: 50 – 100
  • SRM: 10 – 19
  • ABV: 8.0 – 12.0%

 

Para concluir

A escola cervejeira norte americana é recheada de estilos interessantes que valem a pena ser degustados de formas diferentes, tente tomar o mesmo estilo de cerveja em temperaturas diferentes e veja como ela se comporta, experimente os estilos harmonizados com pratos diferenciados e acima de tudo divirta-se!

 

“Beba menos, mas beba melhor!!”

 

Fizemos várias citações nesse conteúdo, se você tiver quaisquer dúvidas deixe seu comentário aqui no blog e respondemos! Siga a Terra da cerveja nas redes sociais: Facebook, Instagram.

 

Até a próxima!