Por que a cerveja artesanal é mais cara?

Por: Pedro Jannotti

25/01/2018 às 22:50hs

Acho que é bem claro para muitos que a cerveja artesanal é mais cara do que a cerveja massificada de grandes cervejarias e aqui vamos ver o motivo disso.

São vários os fatores que influenciam no preço de uma cerveja, que vão desde o campo até seu copo.

Antes de começar a falar de motivos pelo qual a cerveja artesanal é mais cara que as massificadas é preciso entender o que é uma cerveja artesanal.

Não falo de classificações de tamanho de cervejaria, métricas de produção, volume ou outros fatores.

Cerveja artesanal é a visão de um ou mais mestres-cervejeiros, de uma ou mais cervejarias. É um produto pensado nos mínimos detalhes, desde o menor grão de cevada até o tempo de maturação.

Cerveja artesanal é uma experiência sensorial para ser apreciada e compartilhada. É um produto rico em sabor, aroma, textura.

É por isso que ela deve ser consumida apesar de seu preço, mas vamos ver abaixo os motivos que fazem o preço da cerveja artesanal ser tão alto no Brasil.

Insumos

Os principais ingredientes na produção de cerveja são cevada e lúpulo, porém a utilização desses insumos no Brasil é bastante cara.

O Brasil produz muito pouco malte de cevada, o gráfico abaixo mostra as regiões que mais produzem cevada.

Produção de cevada no mundo
Produção de cevada no mundo em 2011/2012 por Embrapa

O Brasil produz menos de mil toneladas de cevada por ano e praticamente toda essa produção é destinadas para as grandes cervejarias.

Isso faz com que a maior parte da cevada destinada a produção de cervejas artesanais seja importada, encarecendo a produção.

O mesmo ocorre para o lúpulo.

Apesar de alguma produção em cultivares pequenos e específicos, o clima brasileiro não favorece a produção de lúpulo.

Principais produtores de lúpulo segundo International Hop Growers' Convention de 2016
Principais produtores de lúpulo segundo International Hop Growers’ Convention de 2016

As leveduras, utilizadas para a fermentação do mosto e fabricação de cerveja, em muitos casos também é importado.

Produção

A produção de cerveja também incorre em diversos custos que passam desde energia elétrica a preço dos equipamentos.

Cervejarias utilizam energia elétrica para diversos processos dentro das fábricas. Seja para produção ou para armazenamento da produção e insumos.

Isso se torna um pouco mais difícil quando o país possui um dos maiores custos de energia elétrica do mundo.

Energia no Brasil - Sistema FIRJAN - Dados de fevereiro de 2017
Sistema FIRJAN – Dados de fevereiro de 2017

Além da energia elétrica os equipamentos para a fabricação de cerveja são bastante caros.

Um tanque fermentador de inox de 5.000 litros pode sair por 30 mil reais para uma cervejaria.

Tanque de fermentação
Tanque fermentador em inox de 580 litros, pela bagatela de R$ 13.100,00

Isso apenas para o fermentador, outros equipamentos envolvem a tina de mostura, tina de fermentação, entre outros. Além da automatização de todo o processo de produção.

Nesse momento você deve estar pensando:

Mas cervejas massificadas também tem gastos de energia elétrica, equipamentos, automatização e afins, por que isso afeta tanto o preço das cervejas artesanais em relação a cerveja massificada?

Sim, é uma verdade, porém as macrocrevejarias não têm que lidar com outros problemas que facilitam certas questões de produção. E isso nos leva para o próximo item.

Imposto

Imposto é um assunto complicado aqui no Brasil.

Muitas empresas sofrem com as altas cargas de imposto e o mesmo vale para as cervejarias.

A lista de impostos que cervejarias tem que pagar é PIS, COFINS, IPI, ICMS, ICMS-ST.

Felizmente esse ano estamos passando por uma mudança na tributação das microcervejarias para melhorar a competitividade no setor.

Caso você queira saber como a carga tributária atual afeta a sua cerveja preferida acesse a postagem excelente do Mestre-cervejeiro.com sobre os impostos praticados no mercado cervejeiro.

Uma importante informação que deve ser considerada sobre isso é que: cerveja artesanal possui um preço mais elevado já pelos ingredientes envolvidos e pelo cuidado no processo.

Quando seu imposto é calculado como porcentagem do valor do produto, isso já se transforma em uma desvantagem fiscal.

Além dessa questão, provavelmente nenhuma microcervejaria que você conhece esteve envolvida em notícias como Pezão propõe incentivo fiscal de R$ 650 milhões para fábrica da Ambev ou no caso da fábrica da Ambev em Uberlândia que levou de brinde isenção de IPTU e 75% de desconto no ISS.

Distribuição

Uma das atividades mais difíceis para uma empresa exercer no Brasil é distribuição de produtos.

O transporte de carga brasileiro é quase inteiramente dominado pelo meio rodoviário que possui alto custo. Segundo ATS Logística, os principais problemas no transporte de cargas o Brasil são:

  • Roubo de cargas;
  • Carga tributária elevada;
  • Uso inadequado de tecnologia especializada;
  • Péssimas condições nas estradas;
  • Motoristas despreparados;
  • Má qualidade da frota;
  • Jornada de trabalho exaustiva;
  • Descumprimento das obrigações legais.

Além desses problemas que encarecem o transporte, algumas cervejarias necessitam também de cadeia refrigerada, o que deixa ainda mais complicado o transporte.

Temos muito que melhorar

O Brasil tem muito o que melhorar ainda no que se trata de produção de cerveja, logística e burocracia.

Os pequenos produtores de cerveja fazem o que podem e muitos entregam um excelente produto para o consumidor final, digno de mercado mundial.

Em minha opinião o preço mais caro é compensado pela experiência de se tomar uma cerveja diferenciada, porém isso não deve ser uma desculpa.

O produtor deve procurar sempre melhorar a qualidade e o preço do produto, os consumidores merecem o melhor.

Sabe de algum aspecto que ficou de fora de nossa lista? Quer dar sua opinião? Fale conosco nos comentários.

E como sempre. Boas cervejas.